18 novembro 2009

HISTÓRICO DAS MISSÕES DAS FOLIAS DE REIS

O conteúdo deste histórico foi elaborado pelo Sr.º Mestre Folião Presidente da Associação dos Grupos de Folias de Reis de Valença, AGFORV. Com a participação especial de dois membros da nossa diretoria.
Primeiro Secretário Geral Sr.º Alberto Carlos dos Santos e Sr.º Vice-Presidente Agostinho Gomes Filho.
Deus, depois de fazer todas as criações, como o céu e a terra, a água, a luz no horizonte, o infinito, as pastagens, todos os alimentos, todos os vegetais, todos os bichos, todos os animais e toda a humanidade. Após povoar a terra viu que seria necessário enviar um Salvador para toda aquela sua criação, principalmente para aquela humanidade. Depois de muitos anos se passarem, após a criação do mundo chegou a ocasião em que Deus através de um profeta anunciou aos povos o acontecimento de uma profecia que é o maior de todos os mistérios existente dentro da Escritura Sagrada. Que é : a Anunciação das Profecias, o nascimento do Seu Filho Jesus Cristo, e sua Ressurreição para a vida eterna. No ano de 404 um homem de Deus por nome Isaias, profetizou para todos os povos que de uma Família pobre nasceria o Salvador. E que a Virgem contemplada para viver essa maravilha celestial, era uma moça escolhida por Deus para dar a luz ao divino Salvador chamava-se Maria, que foi preparada por obra do Espírito Santo desde a sua infância. Vivendo rigorosamente dentro do mais puro preceito religioso, ate chegar o dia que ela recebeu a visita de um anjo de nome Gabriel, que veio comunicar a ela que Deus havia determinado para a salvação da humanidade, seria por ela concebida o Filho de Deus, Jesus Cristo, o Salvador. E assim em 25 de Março de 404, iniciou a gestação no ventre Sagrado de Maria que em 25 de Dezembro dava a luz numa gruta em Belém. E assim começa a história Sagrada do maior mistério das Escrituras e do fundamento principal entre outros de nossas Folias de Reis.
O inicio das Folias de Reis deu-se em Portugal e pelos portugueses trazidos para o Brasil. Os barões portugueses e colonizadores faziam de seus empregados escravos e subordinados que ao serem catequizados pelos Padres portugueses ao conhecer o mistério do nascimento do Menino Jesus, montaram alguns pequenos grupos em diferentes pronuncias, totalmente diferenciada do que são as Folias de Reis hoje. Com menos instrumentos e menos pessoas como integrante. Quando as folias começaram, houve muitas brigas entre elas, não que os integrantes quisessem, porem era uma maneira dos patrões tirarem suas diferenças entre si sem que as folias tivessem nada a ver, sempre por motivo de briga por escravos e a compra da terra. Temos que destacar os símbolos das Missões das Folias de Reis dentro dos nossos conhecimentos.
O primeiro símbolo e o principal das Folias de Reis é a Bandeira que é chamada também de Estandarte. Porem, na nossa concepção deveria ser chamado de Mastro Sagrado. Por trazer em seu interior o maior Mistério Sagrado contido nas Escrituras.
A primeira bandeira de Folia de Reis não sabe precisamente quando nem onde ela foi criada.
A primeira que existiu e que presumimos ter dado origem as outras, surgiu na época em que os Reis Magos adoraram o Menino Jesus em Belém. E foi mais ou menos assim: o apostolo São Tomé, era religioso com os Reis Magos e teve como eles em sonho o aviso que Jesus iria nascer. Porém, seu aviso não foi esclarecido como o dos Reis Magos, e depois de adorarem, os Reis Magos já voltando encontraram com São Tomé que queria saber onde Jesus tinha nascido. E os Reis Magos então lhe indicaram o caminho. São Tomé agradeceu e mesmo não acreditando, lhes prometeu um presente que eles nunca mais esqueceriam se fosse verdade, já que São Tomé, só acreditava no visse. E depois de adorar e confirmar o que havia ouvido dos Reis Magos, São Tomé retornou a sua terra já pensando em cumprir a promessa de presentear como prometera. E em suas orações a Deus pedia para que ele encontrasse uma maneira de cumprir o que havia prometido. E São Tomé em sonho se via desenhando um quadro, e ao acordar teve o discernimento de que seria um mastro com o retrato dos três e exaltando seus nomes criando uma frase benéfica que verdadeiramente chegou aos quatro cantos do universo. E este letreiro dizia: Os três Reis do Oriente e Suas forças protetoras os primeiros visitantes de Jesus na Manjedoura.
E assim São Tomé é o Patrono das Bandeiras.
As nossas bandeiras nos dias de hoje são composta de um quadro de madeira forrado com tecido, ao fundo a imagem dos Santos Reis e às vezes de um Presépio, onde consta o Menino Jesus, São José e a Virgem Maria e os animais que fizeram companhia na noite do nascimento de Cristo. Em sua frente fitas coloridas onde os devotos e necessitados escrevem seus nomes fazendo seus pedidos assumindo uma promessa de 7 anos para que sejam resolvidos seus problemas nas mais diversas naturezas.
Em sua frente como cobertura um véu que é tido com respeito pelas santidades ali existentes.
Em sua parte mais alta as estrelas que simbolizam as caminhadas dos Reis para Belém que foi através da Estrela de Davi. O outro símbolo importantíssimo esta no triangulo e no integrante que o conduz nas cantorias que na verdade são orações e rezas por se tratarem de Mistérios Sagrados. Estes integrantes chamam-se Riquinta. O triangulo é importante por representar os sinos de Belém, e o Riquinta ao responder o seu grito oitavado, representa o cantar do galo no alto da estrebaria em uma forma de anunciar que Jesus nasceu. O Mestre Folião e os outros componentes conduzem a reza e os outros instrumentos conduzem a cantoria. As Folias de Reis são compostas de Foliões, Contra-Mestre, Riquintas, Baichões, Sanfoneiros, Caixeiros, Bandeireiros e vários outros integrantes tendo hoje uma media de 15 a 52 pessoas numa só folia. Valença nos últimos quatro anos se tornou o maior pólo de Folias de Reis do Sul do Estado. E depois de um imprescindível apoio religioso para o resgate da religiosidade das Folias através do Padre Medoro de Oliveira Souza Neto.
Foi feita uma pesquisa por uma emissora de televisão e a festa maior das Folias de Reis no pátio da Catedral de Nossa senhora da Glória, chamada encontrão de todas as folias do município. Foi confirmado pela pesquisa como a segundo maior festa do município em termos de publico e que tende a aumentar pois ao longo de mais de 30 anos só a parte folclórica era inserida nas festas e apresentações das folias de Reis. Hoje temos catequese para os Mestres de Folias, missa de envio das Bandeiras e missa campal de chegada no dia 06 de Janeiro, na festa maior no encerramento das jornadas. E que Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo, ilumine os Foliões e suas cantorias missionárias nas casa dos devotos religiosos e todas as suas apresentações com seus inúmeros e alegres palhaços animando e divertindo a todos os presentes por onde passam. Nossos mais calorosos agradecimentos às ilustres autoridades religiosas e a todos que nos apóiam como:
Nosso Patrono maior que é o Padre Medoro de Oliveira Souza Neto.
O Exmo. Sr. Dr. José Gomes Graciosa
O Sr. José de Oliveira
O Sr. Nélio Ricardo dos Santos (Rio das Flores)
O Sr. Walnir B. A. da Siva
O Sr. Salvador de Souza
Exmo. Sr. Prefeito Municipal Dr. Antonio Fábio Vieira.
Ilma. Sra. Regina Lúcia Fonseca de Gomes
Ilma. Sra. Secretária de Cultura e Turismo Sra. Daniele Luzie Dantas Mazzeo.
Estes agradecimentos se estende a todos os Mestres de Folia e a todos os que direta ou indiretamente contribui para as melhorias que a AGFORV deseja para as nossas queridas Folias de Reis.
Associação dos Grupos de Folias de Reis de Valença, AGFORV.
1º Secretário Geral: Alberto Carlos dos Santos

Vice-Presidente: Agostinho Gomes Filho

Presidente: Francisco José Figueira Ferreira.

Valença, Abril de 2007

2 comentários:

AGFORV disse...

Acho que está funcionando.
Essa semana eu cloco as fotos, tô meio enrolado agora. Abraços

Marcello Goulart Teixeira disse...

Ola,

sou valenciano, morador do Rio, e violeiro (10 cordas). Ja tentei contato com violeiros de Valenca para tentar aprender as musicas de Folia da cidade. Como posso fazer para conseguir esse tipod e informacao?

Abracos,
Marcello
marcello-g-t@uol.com.br

Postagem em destaque

Religiosidade, Folclore, Cultura Popular, Cidadania

Religiosidade, folclore, cultura popular, Cidadania, Folia de Reis , Valença - RJ. A Folia de Reis nos Encanta Preserve nossa cultura! ...